Maria Louca, a pinga das cadeias, veja como é feita nos presídios

Maria louca é uma aguardente fabricada em Casas de Detenções. A pinga das cadeias é produzida secretamente pelos presidiários. A fabricação envolve elaborados processos de fermentação e destilação.
No extinto Carandiru, misturavam água, arroz, fermento e açúcar, a garrafa custava 150 reais nos pavilhões, igual a um uísque escocês 12 anos no supermercado. E olha que a "Maria" levava só seis dias para fazer.

VÍDEO - Fazendo Pinga na prisão:



RECEITA - Como fazer Maria-louca, a pinga da cadeia:

1- Encher de água até a metade uma vasilha para 10 litros (pode ser uma privada).

2- Colocar 2 quilos de arroz, açúcar, cascas de fruta, fermento, café ou cravo para dar gosto.

3- Depois de misturar bem, tampar por uns 10 dias para a mistura fermentar. Mexer dia sim, dia não.

4- Transferir o líquido para uma lata com um furo na parte de cima, encaixar ali uma serpentina de cobre e levar ao fogo.

5- O álcool do "vinho" evapora antes da água e deve ser resfriado na serpentina através de gotículas gotejantes,mas pode ser naturalmente.




INSCREVA-SE E RECEBA NOVIDADES:

Google+

Recentes

Sobre nós

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Quisque sed felis. Aliquam sit amet felis. Mauris semper, velit semper laoreet dictum, quam diam dictum urna, nec placerat elit nisl in quam.
Etiam augue pede, molestie eget, rhoncus at, convallis ut, eros. Aliquam pharetra. Nulla in tellus eget odio sagittis blandit. Maecenas at nisl.