Aos 17 anos ela descobriu que não tem periquita e nem útero

Esta é Jacqui Beck, a jovem inglesa descobriu aos 17 anos que não tinha o órgão sex4l feminino e nem útero. Ela ficou sabendo que tinha a doença (chamada de síndrome de Rokitansky ) depois de ir ao médico com dores nas costas e mencionar que nunca tinha ficado menstruada. Os médicos concluiram que ela tinha apenas uma "covinha" no lugar onde deveria estar a 'perseguida' e, por isso, não era capaz de ter relações sexu4is... disse ao site inglês Daily Mail.



Segundo a jovem, a parte externa da v4gin4 era normal por causa desta covinha, por isso nunca tinha desconfiado antes. A síndrome de Rokitansky afeta uma em cada 5 mil mulheres no Reino Unido, segundo pesquisas. As mulheres com esta doença rara têm as outras partes do corpo e saúde absolutamente normais o que dificulta o diagnóstico, que acaba acontecendo quando elas tentam fazer sex0 ou demoram muito a ter a primeira menstruação.



Jacqui, hoje com 19 anos, conta que ela se sentiu "como uma aberração" quando recebeu o diagnóstico. "Eu nunca tinha me considerado diferente das outras mulheres e a notícia foi tão chocante que eu não podia acreditar no que estava ouvindo, tinha certeza que a médica havia cometido um erro, mas quando ela explicou que era por isso que eu não estava menstruando, tudo começou a fazer sentido. Saí do consultório chorando, eu nunca saberia como seria dar à luz, estar grávida, estar menstruada. Todas as coisas que eu me imaginava fazendo de repente foram apagadas de meu futuro."

Lado positivo:

Apesar do choque, Jacqui está tentando ver sua condição de maneira positiva. Ela acredita que a síndrome pode até ajudá-la a encontrar o homem certo, já que seu futuro parceiro terá de aceitá-la como ela é, o que para ela funcionará como um "teste de caráter".

Hoje, Jacqui é atendida no Queen Charlotte and Chelsea Hospital, em Londres, que é especializado na condição. Lá, ela passa por um tratamento que busca extender seu canal v4gin4l por meio de dilatadores. caso a alternativa não funcione, ela terá de passar por uma cirurgia.
A jovem, agora, quer tornar sua condição conhecida para que outras garotas que passarem pelo problema não sofram tanto quanto ela. Recentemente, publicou um texto sobre o assunto em sua conta do Facebook e conta ter recebido o apoio de amigos e conhecidos.
INSCREVA-SE E RECEBA NOVIDADES:

Google+

Recentes

Sobre nós

Lorem ipsum dolor sit amet, consectetuer adipiscing elit. Quisque sed felis. Aliquam sit amet felis. Mauris semper, velit semper laoreet dictum, quam diam dictum urna, nec placerat elit nisl in quam.
Etiam augue pede, molestie eget, rhoncus at, convallis ut, eros. Aliquam pharetra. Nulla in tellus eget odio sagittis blandit. Maecenas at nisl.